29 de jun de 2015

Dia 34: Será Que? (12 de abril)

Deveria ser bastante simples falar sobre Será Que? (What If)Ao procurar por algum filme no Netflix para ver neste dia, encontrei este com Daniel Radcliffe e Zoe Kazan. Eu não o vi nos cinemas, com receio de ficar desapontada (trata-se de Harry Potter, afinal). Mas neste domingo de abril eu resolvi arriscar. 

Seria possível dizer várias coisas sobre essa singela comédia romântica. É previsível em muitos aspectos, surpreendente em outros. Há o cara deslocado que se encontra um um terrível momento da vida. Há também a garota fofa, perfeita para ele... exceto que ela mora com o namorado há cinco anos, o qual, claro, é um babaca insuportável, mesmo que inofensivo. Não estou quebrando nenhuma regra anti-spoiler aqui, mas não há realmente muito o que contar. O argumento é tão conhecido que não há nenhuma grande surpresa para estragar. Com exceção talvez dos pequenos detalhes que fazem a diferença aqui.

Mas a eles eu não vou me referir. O que eu quero mencionar é o que transformou esse filme fofo, mas simples, em algo que sempre me fará sorrir. 

Logo depois de Wallace (Hadcliffe) encontrar Chantry (Kazan - nomes horrorosos, eu sei), ele está em seu esconderijo favorito, no telhado da casa de sua irmã. A vista é linda, e esse é um lugar onde ele pode pensar na bagunça da sua vida e tal. Novamente, não há um grande spoiler aqui, juro.  Nesta cena, ele encara fixamente o papel em que Chantry escreveu o número do seu celular. No verso, há o desenho de uma espécia de fada. Ele olha para a imagem por um tempo, até soltar o papel ao vento... que flutua, flutua... até ficar preso num galho de árvore e, de repente, se tornar outra coisa. É tão absolutamente fofo que me fez sorrir por algum tempo (o mesmo sorriso que eu vou repetir ao pensar neste filme). 

Mas essa é só a primeira parte da minha história com o filme. Logo a seguir, há um close no letreiro de um cinema... A Princesa Prometida (The Princess Bride), um dos meus filmes favoritos no universo. Dentro do cinema,  Wallace, diante das primeiras cenas do filmes de Rob Reiner (citado aqui há três dias apenas!) , traz no seu rosto um grande (você pode adivinhar?)... sorriso! O reconhecimento diante de uma história que traz para ele boas lembranças é o mesmo que ocorreu comigo aqui. 

E desse ponto em diante Será Que? adquiriu um outro significado para mim, mesmo que às vezes ele se torne um pouco lento ou que haja gente demais caindo de todos os lugares (a primeira queda é de fato engraçada demais, no entanto, e eu não conseguia parar de rir por um bom tempo). 

Ah, e por último, mas não menos importante: Toronto como ela mesma (e não Nova York) é sempre um cenário genias... como é também a incrível Dublin. A trilha sonora é fofa, aliás, como o filme.  

Adam Driver como o cara esquisito é sempre legal :)

Será Que? (Whati If) (No Canadá e Inglaterra, o nome é The F World). Dirigido por Michael 
Dowse. Com: Daniel Radcliffe, Zoe Kazan, Adam Driver. Roteiro: Elan Mastai er al a partir da 
pela de T.J. Dawe  and Michael Rinaldi. Ireland/Canada, 2013, 98 min., Dolby Digital, Color (Netflix).


PS: Um filme com Zoe Kazan de que gosto muito é  Ruby Sparks, 2012, escrito por ela mesma. É um filme meio desacreditado, mas é bastante certeiro na sua visão sobre o poder da ficção na vida (e sonhos) de todos nós. 

PPS: Fragmentos: Daredevil2015 - temporada 1, episódio 4.

Nenhum comentário:

Postar um comentário