11 de jul de 2015

Day 81: Promessas de Guerra (29 de maio)

Hoje lembrei de algo que vi num filme com Robin William, Violação de Privacidade (The Final Cut2004): seu personagem edita as imagens presentes no chip que todas as pessoas carregaram durante a vida, por detrás de seus olhos, o qual captura cada momento de suas vidas. A versão editada é apresentado como um elogio fúnebre. Depois de uma dessas exibições, o irmão do falecido questiona o editor a respeito da cor do barco da família. Nas imagens editadas, o barco é vermelho, mas na sua lembrança ele era verde - ou algo assim, porque minha própria memória não é nada exata também.

Nenhuma memória é, eu acho. "Você não lembra do que aconteceu. O que você lembra se torna o ocorrido" - "You don't remember what happened. What you remember becomes what happened" -, diz John Green em O Teorema de Katherine

Esse poster é tão egocêntrico que até doi.
Essa citação poderia se aplicar ao meu dia hoje. Minha cabeça se confunde muto às vezes. Por alguma razão que eu nunca vou saber determinar, eu pensei que a história em Promessas de Guerra (The Water Diviner) se baseava em fatos ocorridos. E apenas por conta disso eu resolvei dar uma chance ao último filme de Russel Crowell - sua estreia na direção. Alguns filmes são interessantes apenas por seus aspectos biográficos, como considerei recentemente com O Jogo da Imitação (The Imitation Game) e  A Teoria de Tudo (The Theory of Everything - que eu insisto em chamar the teoria do nada...). Mas eu me enganei, a história aqui não se refere a fatos, e então o motivo principal que me levou a assistir a esse filme inacreditavelmente cafona se perdeu em um truque vergonhoso da minha própria cabeça.

O filme é tudo que eu imaginava e ainda pior. Closes gratuitos e mal enquadrados, edição tosca, som e dublagem lamentáveis (não sei a diferença entre mixagem e edição de som, mas os dois são horrível aqui - não há como salvar nenhum aspecto dessa bagunça), um desperdício de trilha sonora, cenas românticas horrorosas, edição sem sentido (eu tenho de repetir, porque é realmente muito ruim). O argumento é bom, mas é isso.  A fotografia não é odiosa como todo o resto (não sei como se conseguiria arruinar a paisagem linda da Turquia), mas ela por si só não consegue salvar essa narrativa apressada e estereotipada.  

Em alguns momentos, eu tive de cobrir meu rosto tão grande era a vergonha. No entanto, a cotação no imdb.com é boa, então talvez seja só a minha veia do contra em ação mais uma vez. 

http://onemovieadaywithamelie.blogspot.com/2015/05/day-eight-one.html

Promessas de Guerra (The Water Diviner)Dirigido por Russell Crowe. Com: 
Russell Crowe, Olga Kurylenko, Yilmaz Erdogan (Seu personagem é uma das
poucas coisas boas nesse filme).  Roteiro: Andrew Knight, Andrew Anastasios.
Australia/EUA/Turkia, 2014,  111 min., Dolby Digital, Color (Cinema).







PS: Os dois fragmentos do dia trouxeram Benedict Cumberbatch em diferentes momentos da sua carreira. O menos conhecido  Third Star, 2010, pareceu horrível para mim à primeira vista, mas tem boa cotação no imdb.com. O outro é mais conhecido, e estou na frente dele agora: Além da Escuridão - Star Trek, 2013. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário