11 de jul de 2015

Dia 85: I'm not a Hipster (2 de junho)

Sem saber inicialmente, escolhi um filme que combinou com a minha dor. Numa crise de gastrite forte, eu gemia no sofá enquanto sofria também ao ver Brook Hyde jogar sua vida pela janela por não ser capaz de lidar com suas mágoas internas e com a perda. 

O filme é I'm Not a Hipster, a estreia na direção de Destin Daniel Cretton - seu filme mais recente foi uma grata surpresa, e faz parte do dia 77.

Eu tentei, durante o filme, conectar o título à história, o que foi na verdade uma estupidez. Eu deveria saber melhor do que me ater à armadilha representada pelos rótulos. E porque eu estava presa a esse rótulo, eu não conseguia perceber do que se tratava o filme à minha frente: um cara totalmente vazio de si mesmo por conta da dor e da perda, incapaz de encontrar seu caminho de volta à vida. 

Eu me irritei com Brook tantas e tantas vezes, mas em determinando momento ele me lembrou o modo como costumo lidar com a dor: sozinha, em silêncio e isolamento. Mas foi realmente difícil presenciar como ele consegue esse intento, sendo um babaca arrogante com todo mundo, em todo lugar. 

O personagem principal é difícil, mas há alguns elementos cativantes no filme, e por isso permanecemos na frente da tela. A trilha sonora é ótima, um outro motivo que me ajudou a acompanhar a luta interna de Brook. Suas três irmãs são só alegria, seu melhor amigo é um fofo super esquisito que não se abala pela grosseria de Brook. Esses personagens me pareceram tão reais, como estou percebendo ser comum nas história de Cretton. Por isso, espero ansiosa seu próximo filme. 

http://onemovieadaywithamelie.blogspot.com/2015/06/day-eight-five-im-not-hipster-june-2.html

I'm Not a Hipster. Dirigido e escrito por Destin Daniel Cretton. Com:Dominic 
Bogart, Alvaro Orlando, Tammy Minoff. EUA, 2012, 90min., Color (DVD).

PS: Estou receosa pela nova temporada de Orphan Black. Está tão confusa, o argumento é absurdamente bobo... As primeiras duas temporadas são tão boas, é uma penas que essa esteja naufragando. 

PSS: Vagando pelos canais da TV, encontrei Fargo,  um filme de 1996 que chamou minha atenção para os irmãos Coen. Foi uma boa oportunidade de lembrar de alguns de seus aspectos depois de assistir à espetacular série de TV sob o mesmo nome. O filme é incrível, e há uma parte que explica algo que faz parte da série. De fato, a série se refere ao filme de tantas forma, como eu já esperava, mas que não conseguia lembrar de início. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário