10 de jul de 2015

Dia 73: 3 Corações (21 de maio)

Não sei exataemnte por que, mas um dia minha sobrinha de 11 anos olhou para mim e disse:  "C'est tragique". Quando eu a questionei, ela me disse que havia procurado pela expressão no google tradutor. Por que razão, como eu disse, não sei. 

C'est tragique é o que veio à minha cabeça enquanto assistir a 3 Corações (3 Coeurs), um filme de Benoît Jacquot. Outra coisa de que lembrei algo que Umberto Eco disse (um de seus personagens fictícios, na verdade). Em (talvez) O Pêndulo de Foucault, 1989: toda conjectura e se, quando opost a algo que já ocorreu, é falsa; é por si algo que não  ocorreu. Assim sendo, trata-se de um questimento inútil. 

E se poderia também ser a prerrogativa de toda tragédia. E se Édipo tivesse conhecido seu pai e mãe, em vez de crescer ignorante das próprias orgigens? Ou, ainda, e se Laio não tivesse se apressado em evitar uma tragédia e não tivesse agido precisamente na direção de causar uma? É tentador continuar imaginando diversos e se, mas a realidade do que aconteceu por fim não muda. 

O tom de 3 Coraçoes é, desde o começo, de tragédia - o tema musical, repetido em determinados momentos, nos dá uma dica a respeito. O medo que leva o protagonista a diversos ataques de pânico é pressário de uma ameaça eminente. E assim nós passamos os 106 minutos do filme em um estado de tensão, esperando pelo pior, com a história sendo contada em pedaços - o espectador deduz os acontecimentos que não são mostrados em cena. O filme é um pouco irregular em sua narrativa, dramático em exagero em alguns momentos, mas com algumas partes bem apresentadas e elaboradas. The movie is a bit irregular at telling this story, it is over dramatic at times, Uma narrativa que não enfatiza os fatos e situações, mas os personagens e o conflito que vivenciam. E essa é sempre uma boa característica ao se contar uma história. 

Contudo, para mim, esse não e um filme sobre um triângulo amoroso, como indicado pelo título. É um conto sobre destino, incidentes lamentáveis, a tragédia que ameaça até mesmo a mais comum das vidas, não apenas aquelas dos grandes personagens na história. 

http://onemovieadaywithamelie.blogspot.com.br/2015/05/day-seventy-three-3-hearts-may-21.html



Ver Catherine Deneuve tão plastificada parte meu coração toda vez

3 Corações (3 Coeurs). Dirigido por Benoît Jacquot. Com: Benoit Poelvoorde,
Charlotte Gainsbourg, Chiara Mastroianni. Roteiro: Julien Boinvent, Benoît 

Jacquot. França/Alemanha/Bélgica, 2014, 106 min. DTS. Color (Cinema).
  


Nenhum comentário:

Postar um comentário