10 de jul de 2015

Dia 71: Ferrugem e Osso (19 de maio)

Encontro-me aqui com o coração nas mãos. 

É curioso como algumas coisas são, coisas que se conectam sem o nosso conhecimento. Mais cedo hoje, eu esperava por uma consulta médica. Na TV, um filme que e não conseguia ouvir, somente ver. Uma mãe num super mercado acompanhada do seu filho faminto, sem dinheiro para comprar comida, rouba um sanduíche. Seu medo enquanto deixa a loja é tão triste, não havia necessidade de palavras para perceber isso. Por um momento, pensei como seria não ser capaz de cuidar do próprio filho. 

Eu não deveria ter ficado surpresa, então, quando me vi diante da mesma situação no começo do filme de hoje, Ferrugem e Osso (De Rouille et D'Os), com a sempre incrível Marion Cotillard e o surpreendente Mathias Schoenaerts. As primeiras cenas retratam um pai tentando levar seu filho para fora da cidade, colhendo restos de comida no trem. A tristeza e desespero são o tom principal desse filme desde o começo, mas que ao menos fala alto também sobre esperança e amor.  

Tragédias são compostas de matéria dúbia. Elas podem nos destruir. Podem, também, nos colocar inteiros. Tudo na mesma forma arrasadora e dolorida. Que nós necessitemos delas às vezes  para estarmos de volta aos trilhos é um dos aspectos mais tristes da vida. 

Os personagens principais são ótimos: eu queria dar na cara deles num instante para, no outro, abrir um grande sorriso, particularmente diante de Alain, um cara que passa pela vida como se não fosse nada demais, até que ele se dá conta que existe mais do que ele pensa. Ele é tão inacreditavelmente sem noção às vezes, mas em outras faz as coisas mais inesperadas e geniais. É até hipnotizador, para dizer a verdade. 

Um filme incrivelmente bom - não sei por que, mas eu não estava muito certa dele, apesar das boas críticas. Mas ele me trouxe um sentimento acolhedor em relação à vida num dia em que eu estava pedindo para o chefe lá de cima para parar o mundo e me deixar descer. 

http://onemovieadaywithamelie.blogspot.com.br/2015/05/day-seventy-one-rust-and-bone-may-19.html

Ferrugem e Osso (Des Rouille et D'os). Dirigido por Jacques Audiard. Com: 
Marilon Cotillard, Mathias Schoenaerts, Armand Verdure. Roteiro: Jacques
Audiard, Thomas Bidegain a partir da história de Craig Davidson. França/
Bélgica, 2012, 120 min., Dolby Digital, Color (Net).




Nenhum comentário:

Postar um comentário