19 de jul de 2015

Dia 107: O Exterminador do Futuro (24 de junho)

Eu assisti a O Exterminador do Futuro (Terminator) tantas vezes que perdi a conta. Mas não havia como recurar uma sessão do filme no cinema.

Durante a sessão desse dia, percebi como o filme estava impresso na minha memória e imaginário. Fiquei surpresa nessa sessão trinta anos após vê-lo pela primeira vez no cinema. Apesar de ser meu filme favorito na época, eu não sabia que ele ainda se encontrava tão vívido em mim. Desde a primeira fala "what the hell..." até outros muitos detalhes, como o momento de cabeça de Reese quando ele dá a volta no seu carro roubado, vi como muitos pequenos elementos estavam presentes em mim depois de tanto tempo. Tudo tão familiar e querido. Uma jornada pela memória num reencontro feliz.  

Um encontro que acabou por ser agridoce, na verdade. Um aviso de que, apesar de precioso para mim, talvez seja hoje de parar por aqui. A percepção ele é parte do meu imaginário foi legal, mas a história e seus personagens não foram tão tocantes dessa vez. Eu não me emocionei nem na sequência do título, que costumava me deixar com lágrimas (pensem). Melhor parar por aqui, antes que ele pare de fazer sentido de todo para mim. Não posso de forma alguma deixar que isso aconteça...

O filme foi um marco para mim aos 15 anos. Há filmes que, a partir de um orçamento limitado e de uma produção complicada, se tornaram um sucesso, sendo cultuados dpecadas após seu lançamento.  James Cameron se inspirou justamente em um deses filmes, Mad Max (outro sucesso revisado neste ano e apresentado aqui no dia 69dia 70 e dia 72). Então, eu não fui a única a ter uma leve obsessão por ele. Se O Exterminador do Futuro estivesse num cinema da cidade, lá estava eu também. No meu caro, houve alguns obstáculos a superar aos 15 anos, mas meus amigos e eu sempre encontramos uma forma de chegar ao cinema. Mesmo que ele se situasse numa parte meio suspeita da cidade à noite, esperando a mãe da minha amiga nos buscar depois de arrancar os still e poster da vitrine do cinema... Foi uma fixaçao repleta de aventuras, ao menos. 

A quinta parte da franquia Terminator esta para estrear, e essa sessão de quarta-feira foi bem planejada, e não apenas por razões comerciais. É interessante pensar que algumas coisas que consideramos normais hoje numa produção cinematográfica tiveram um começo incerto e complicado. O trivia no imdb.com a respeito do primeiro Exterminador do Futuro é uma boa história por si só. Uma dessas curiosidades conta como James Cameron escreveu Aliens (1986) no seu carro enquanto esperava que Arnold Schwarzenegger estivesse disponível para começar as filmagens desse primeiro filme do que que tem sido uma bem sucedida e duradoura franquia, com sua história e personagens ainda atuais. 

http://onemovieadaywithamelie.blogspot.com/2015/06/day-107-terminator-june-24.html

O Exterminador do Futuro (Terminator)Dirigido por James Cameron.
Com: Arnold Schwarzenegger, Linda Hamilton, Michael Biehn. Roteiro:
 James Cameron, Gale Anne Hurd.  Inglaterra/EUA, 1984, 107 min., Mono (original 
release)/Dolby  (DVDr.e-release)/DTS (DTS HD Master Audio), Color (Cinema).

PS: Outro filme de que eu gostava (e ainda gosto) quando mais jovem, alguns anos após Teminator, era A Noite Americana (La Nuit Américaine, 1970), de François Truffaut. No sonho do diretor, durante o filme, eu me vi há 30 anos, naquela noite no cinema obscura numa das piores partes da cidade :)








Nenhum comentário:

Postar um comentário