6 de jul de 2015

Dia 53: Pássaro Branco na Nevasca (1º de maio)

Outro dia sem Cake.  

Eu dispunha, hoje, de apenas algumas horas depois do almoço para ir ao cinema, então escolhi o filme exibido nesse horário. E o que me restou foi, então, Pássaro Branco na Nevasca (White Bird in a Blizzard), um filme do ano passado que somente agora chegou aos cinemas daqui. 

Eu estava curiosa a respeito, sobretudo por sua aparência melancólica. Eu comecei a ler o livro de Laura Kasichke, mas decidi esperar pelo filme. Não sei, havia uma atmosfera transcendente em torno dessa produção que me levou a escolher conhecer a história pelo filme, em vez do livro.

Imagens dominadas pelo branco da neve; a linda Eva Green, uma mãe que desaparece de forma repentina; um conto sobre amadurecimento... tudo isso me levava a considerar esse filme como especial de alguma forma. Eu imaginava deixar o cinema sem respostas a respeito da história, mas com muito sobre o que pensar no que concerte às relações humanas. 

A cada minuto que passava, eu ia percebendo que esse filme não era bem o que eu esperava - essas expectativas... Trata-se de um filme de suspense, e por si só esse elemento seria suficiente. Mas eu já havia criado outra história na minha cabeça.

As imagens que nós criamos... O filme é bastante objetivo para contar sua história, não resta nada para a imaginação, e as imagens poéticas estão ali apenas para serem vistas, sem outro significado maior. A atmosfera do filme me lembrou um pouco de Morte Súbita, de J.K. Rowling, que não consegui suportar porque pequenos segredos pervertidos no subúrbio, para mim, são bastante anacrônicos. Sua amarga superficialidade não diz nada para mim. Penso que a ideia de uma família perfeita, ou vizinhança ideal, não se encontra presente no mundo mais. Claro, podemos conviver num ambiente de que não não sabemos tudo, com relacionamentos familiares que não são o que parecem... Há segredos em todos os lugares, sim, mas nada que tenha feito sentido para mim na forma como apresentada por Pássaro Branco na Nevasca. 

Toda a expectativa de encontrar uma atmosfera que transcende os fatos, a qual entrou entrou comigo no cinema, terá de esperar por outro filme. Porque, apesar do suspense dessa produção, tudo o mais era tão descaradamente claro que não há espaço algum para imaginação ou qualquer outra coisa que não os fatos. 

http://onemovieadaywithamelie.blogspot.com.br/2015/05/day-fifty-three-white-bird-in-blizzard.html
Pássaro Branco na Nevasca (White Bird in a Blizzard)Dirigido e escrito por 
Greg Araki, a partir do livro de Laura Kasichke. Com: Shailene Woodley, Eva 
Green, Thomas Jane. França/EUA, 2014, 91 min., Dolby, Color (Cinema)


PS: A trilha sonora dos anos 80 é muito legal. The Psychedelic Furs, Echo and The Bunnymen, New Order, Tears for Fears... Sempre bom encontrá-los no cinema.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário