10 de jul de 2015

Dia 77: Temporário 12 (25 de maio)

Eu estava tão apaixonada por Temporário 12 (Short Term 12) quando cheguei ao seu final que meu primeiro pensamento foi voltar ao começo e ver tudo de novo. Eu respirei fundo, vi novamente a última cena, e fui dormir agradecida por Joe haver me indicado esse filme tão querido. 

Um encantamento tomou conta de mim durante o filme. Contar uma história tão dolorida e real com tanta delicadeza é realmente incrível, e alguns filmes o fazem maravilhosamente bem. Short Term 12 é um deles. 

A questão é que carregamos conosco a dor que sentimos ao crescer durante toda a nossa vida adulta, até que somos finalmente capazes de olhá-la de frente, mantendo o olhar por quanto tempo for necessário. Nós crescemos, nos tornamos pessoas incríveis, sensíveis, adultos centrados. Encontramos o amor, um trabalho que faz sentido para nós. Nada é perfeito, não me entenda mal, mas de alguma forma conseguimos força e coragem para seguir em frente.  Mas uma criança aterrorizada vive dentro de nós ainda, agachada num canto, até que realmente a olhamos com cuidado, atenção, carinho, finalmente dando-lhe o amor que ela merece.  

Short Term 12 discute essa questão num cenário de que não conseguimos devisar os olhos: abuso contra a criança e abandono, algo que acontece em diversos âmbitos e dimensões com toda criança. E apesar do fato de que felizmente nem todos têm uma infância violenta, isso é mais comum do que as estatísticas admitem. Há alguns anos, li um artigo sobre como o  Chile apresentava um elevado número de violência doméstica infantil da América do Sul, mas ninguém admitia esse fato. Ele se encontrava - e se encontra, em todo lugar - escondido atrás das portas de diferentes classes econômicas e sociais. Está ao nosso redor, e filmes como o de hoje nos conta exatamente a respeito, de uma forma honesta e ainda assim delicada. 

Brie Larson como Grace está incrível. Ela é tão humana, como são também os outros personagens, aliás, que eu gostaria de ser sua amiga, trabalhar com ela, conversar sobre diversas coisas, tão próxima ela parecia pela forma com que sua história foi contada. Os personagens todos são tão reais que se tornam quase palpáveis. Grace é a protagonista, e ela é admirável em sua força e humanidade e medo, e que um filme seja capaz de retratar uma pessoa assim, sempre me surpreende. Penso que por isto surgiu a vontade de voltar ao começo do filme para vê-lo novamente: para estar com aquelas pessoas que lidaram com tanta coisa, e ainda assim são capazes de se doar a quem vive no mesmo inferno. 

Perder a fé na humanidade para recuperá-la novamente é um movimento constante em mim. Geralmente, o que me restaura a fé são pessoas que me comprovam, com suas próprias vidas, como é possível vier bem, de uma forma simples (não no modo espetacular dos heróis dos grandes filmes), dia a dia, com amor, atenção cuidadosa aos outros e companheirismo, sempre. E que eu tenha amigos assim na minha vida, não somente os dos filmes, é um constante espanto e alegria. 

http://onemovieadaywithamelie.blogspot.com/2015/05/day-seventy-seven-short-term-12-may-25.html



Short Term 12. Dirigido e escrito por Destin Daniel Cretton. Com: Brie Larson, 
John Gallagher Jr., Keith Stanfiel. EUA, 2013, 96 min. Dolby Digital, Color (DVD).


PS: A primeira vez que percebi John Gallagher Jr. foi pelo sua atuação destacada e premiada no musical da Broadway Spring Awkening, 2006. Os dois protagonistas no musical era interpretados por Jonnanthan Groff (Looking2014) e Lea Michelle (Glee, 2009). John está no meu episódio favorito de The West Wing20 Hours in America: Part One (2002), ma seu não o conhecia à época. Então, após ficar encantada com Moritz Stiefel (que eu apenas vi em vídeos de fãs, infelizmente), eu comecei a prestar atenção à sua carreira. Foi uma grata surpresa vê-lo na última série de Aaron Sorkin,  The Newsroom2012. Ele parece muito querido, então acaba por interpretar caras legais e desajeitados (ele é de fato adorável em Short Term 12). Mas Moritz nos mostrou de que ele é capaz de trazer à vida personagens bizarros e intensos, e eu espero que o cinema e a televisão não se esqueçam disso. O video a seguir mostra a performance do cast no Tony Awards de 2007, a melhor imagem disponível no youtube. John Gallagher Jr. aparece por volta de 1'56'', e sua breve participação consegue dar uma ideia do quanto ele é bom nesse papel.  






PPS: Eu sabia nada a respeito de Short Term 12. Apenas depois de alguns minutos é que fui capaz de me situar na história, mas antes disso, por alguns momentos, eu não tinha ideia de onde eu estava. Assim parte por parte o quebra-cabeças começou a fazer sentido. Apesar de não me incomodar com spoilers, assistir a um filme sem saber nada sobre ele é uma boa oportunidade de ser surpreendido. Decepção faz parte também, claro, mas essa é a vida, certo? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário