10 de jul de 2015

Dia 72: Mad Max: Estrada da Fúria (20 de maio)

WOW

Wowowowowowowowow.

Este post poderia terminar aqui, comigo babando infinitamente, e já contaria bastante do que vi no cinema hoje. 

Essas cores incríveis  <3
Com todas as incrivelmente altas cotações e comentários elogiosos, eu ainda assim estava cautelosa a respeito de Mad Max: Estrada da Fúria. Como eu disse antes, eu sou um ligeiramente do contra, então seria nadar contra a corrente confiar totalmente nessa nova sequência, 30 anos após o último filme da franquia. Oh, o que dizer das pessoas de pouca fé :) 

Fruto da mesma mente visionária de George Miller, eu achei esse filme incrivelmente bom. Não fui capaz de respirar profundamente ou piscar por quase uma hora e meia durante a sessão. O uso inteligente da tecnologia 3D foi um pouco responsável por toda essa tensão, assim como a tela gigante e um bom sistema de som no cinema. 

Tive receios de que um orçamento maior pudesse representar uma mudança na atmosfera da série, mas isso felizmente não ocorreu. Toda a loucura bizarra dos primeiros filmes está presente ainda, apenas mais brutal, bela e arrasadora visualmente. A locação permaneceu em Gales do Sul, na Austrália. O deserto, os personagens insanos, os carros, o silencioso e verdadeiramente louco Max... com a boa adição de uma história feminina forte, como bons personagens femininos. Charlize Theron domina o filme, aliás. 

A questão numa história distópica são suas similaridades com o mundo atual. Um ditador odioso e estúpido pode dominar o mundo, escravizando pessoas, abusando de mulheres, controlando os recursos naturais... circunstância aceita por uma maioria, como se fosse natural. Mas não é, e histórias como Ensaio sobre a Cegueira questionam esse domínio de forma bastante precisa. A ficção distópica faz o mesmo, em outro  cenário, com não menos significado. 

George Miller assim o faz, de forma grandiosa, no novo Mad Max, aumentando o tom relativamente aos seus filmes anteriores da franquia de modo a falar bastante alto sobre o mundo atual, numa representação futurística do nosso presente. 

Agora resta esperar pelos próximos três filmes na série, enquanto tentamos respirar normalmente de novo. 

http://onemovieadaywithamelie.blogspot.com.br/2015/05/day-seventy-two-mad-max-fury-road-may-20.html

Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road)Dirigida por George Miller. 
Com: Charlize Theron, Tom Hardy, Nicholas Hoult. Roteiro: George Miller, 
Brandan McCarthy, Nico Lathouris. Australia/EUA, 2015, 120 min., Dolby Digital/
Datasat/SDDS/Dolby Atmos, Color (Cinema).



PS: No post sobre Mad Max 2, eu disse como não havia canções na trilha sonora, apenas o score. Este último filme mantém a lógica da série, com apenas poucas músicas. Mas a ênfase no aspecto rock'n roll da história é finalmente explicitado pela imagem sempre presente de um guitarrista cego liderando o ataque. 

PPS: Hoje eu comecei um novo experimento :) Já faz um tempo que minha amiga Mel tem me contado da trilogia de terror escrita por Guillermo del Toro e Chuck Hogan, chamada The Strain. Eu li o prólogo do livro no ano passado, e fiquei com tanto medo que não consegui continuar. Nestes últimos dias, no entanto, fiquei curiosa sobre a adaptação dos livros para a  televisão, e tentei então lê-los novamente. Talvez por saber um pouco mais sobre a história, eu fui capaz finalmente de passar das primeiras páginas. Assim, eu decidir tentar algo diferente: Depois de ler algumas páginas, eu assisti ao episódio da série a que elas se referem. Foi preciso um acordo aqui, porque o seriado ultrapassa um pouco do que li. Dessa maneira, negociando parte por parte, eu pretendo passar por toda a trilogia. Confesso que eu estou um pouco orgulhosa da minha ideia. Bobagem total  :)

PPPS: Penny Dreadful  está de volta!!!! Espero que a nova temporada seja incrível, tão boa quanto a primeira. Assisti aos dois primeiros episódios da temporada 2, e está parecendo realmente bom: bela, arrasadora, angustiante, assustadora. 

PPPPS: Acabei de ver uma foto do elenco de Mad Max: Estrada Furiosa em Cannes... O Max de Tom Hardy deve ter usado botas de salto realmente alto. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário